Carlos Izcaray

Caracas, 1977

direcção musical

  • Carlos Izcaray é Director Musical da Sinfónica do Alabama e da Sinfónica Americana de Jovens. Aclamado pela imprensa internacional, ganhou 1os prémios no Festival de Música de Aspen (2007) e no Concurso Internacional de Direcção Toscanini (2008). Desde então tem-se apresentado com inúmeros ensembles em todo o mundo, estabelecendo-se como um dos principais maestros da sua geração. Revela especial interesse e habilidade na abordagem a algumas das partituras mais complexas do repertório sinfónico, ao mesmo tempo que defende a interpretação historicamente informada de obras do passado.

    Carlos Izcaray tem dirigido agrupamentos como as Sinfónicas de St. Louis, Pacífico, Carolina do Norte, Grand Rapids e Kitchener-Waterloo; as Orquestras de Câmara de Los Angeles, San Antonio e Lausanne; a Orquestra da Komischen Oper Berlin; as Sinfónicas de Malmö, Casa da Música, Banguecoque, Colômbia, Baía, Salta (Argentina), Venezuela e Caracas; as Filarmónicas de Kwazulu-Natal, Macedónia, Venezuela e Arturo Toscanini; e a Orquestra Regional de Emilia-Romagna, entre outras. A sua gravação mais recente, Through the Lens of Time, inclui a Recomposição de Max Richter sobre As Quatro Estações de Vivaldi, com a Sinfónica Cidade de Birmingham e o violinista Francisco Fullana (2018, Orchid Classics).

    Dirige com igual à-vontade ópera, recebendo excelentes críticas por apresentações nas Óperas de St. Louis e Utah, no Festival Internacional de Ópera Alejandro Granda no Peru e, em particular, no Festival de Ópera de Wexford, onde dirigiu inúmeras produções. Em 2010, a produção de Virgina de Mercadante foi premiada nos Irish Times Theatre Awards (Melhor Ópera).

    Um fervoroso adepto do apoio às novas gerações, Carlos Izcaray tem trabalhado com jovens talentos e importantes instituições musicais, entre as quais o El Sistema no seu próprio país. Fruto da sua paixão pela formação musical, tornou-se Director Artístico da American Youth Symphony em 2016.

    Destacado violoncelista, Carlos Izcaray apresentou-se como solista e em música de câmara pelo mundo todo e ocupou os cargos de Violoncelo Principal e Presidente Artístico da Orquestra Sinfónica da Venezuela, antes de se dedicar a tempo inteiro à direcção. Cada vez mais activo enquanto compositor, a sua obra Cota Mil foi estreada pela Orquestra Sinfónica Municipal de Caracas. Dirigiu a Sinfónica do Alabama na estreia da sua obra Yellowhammer, em 2018. No mesmo ano a American Youth Symphony estreou Strike Fugaz, encomendada em parceria com a Human Rights Watch para celebrar a campanha global pela justiça social, a igualdade e a liberdade.

    Carlos Izcaray nasceu em Caracas numa família com várias gerações de artistas. Iniciou os estudos musicais aos 3 anos no sistema de orquestras de jovens da Venezuela, e foi aluno do Conservatório Emil Friedman. Estudou direcção com o seu pai desde a adolescência e tornou-se membro da Academia Americana de Direcção em Aspen. Frequentou a Interlochen Arts Academy (Michigan), a New World School of the Arts (Florida) e a Jacobs School of Music na Universidade de Indiana. Divide o seu tempo entre Birmingham e Berlim.

     


    2018/19 

  • Obras relacionadas

      • Ordernar por

    • more
x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE